terça-feira, 12 de setembro de 2017

Seus Três Olhos Lunares



Carmensita

Ai, seu primo avermelhado
Com barba mal feita
E cheio de baleia
Inclinando se ao sol
Ah o seu raio de luz vermelha
Beijando a nossa boca
O beijo que te sopra
Cheira a couve

Seus três olhos lunares
Extraterrestres
Entram quando saem
Por isso não se veem
Ah sua barba vermelha
Travessa e rebelde
Faço a barba com uma espada
Mas devolvo

Se a noite te persegue
Entregue-se a ela
Ou diz que tem dor de cabeça
A sombra do reflexo
Me dê algo doce
Como o seu amor
E cago o inferno

Adeus, adeus, adeus
Primo fazendeiro
Olá Bernardo

Ah, seus olhos vermelhos
Azuis e alaranjados
Amarelo, verde e marrom
Meu amor, envolto em seu coração
Não o solte por favor
Nós somos como os elefantes e cobras semelhantes
Tomando cachaça
No sol
A partir de uma flor

...

0 comentários:

Postar um comentário